Sintonia Online

Bagé – Colégio Auxiliadora – 09/08/11 – Conhecendo mais Dom Bosco

Bagé – Colégio Auxiliadora – 09/08/11 – Conhecendo mais Dom Bosco

João tinha que continuar os estudos em centro maior com mais professores. Mas como pagar os estudos no colégio? E a pensão para morar? Com o consentimento da mãe pede ajuda entre os vizinhos para os primeiros meses de estadia e estudos em Chieri. Com humildade e coragem foi “esmolar”: “Sou filho de Margarida Bosco. Devo ir para Chieri a fim de estudar com o intuito de chegar a ser padre. Minha mãe é pobre. Se puderdes, ajudai-me”.
O ideal de se tornar sacerdote para o serviço da juventude pobre lhe fazia superar toda vergonha e constrangimento de pedir. Queria se formar para ajudar outros. Mais tarde, precisará de comida e roupa para as centenas de estudantes pobres abrigados em seus colégios, dirá aos mais aquinhoados: “Não peço para mim, mas para os meus moleques. Se não ajudardes a educar os jovens abandoados, um dia eles vos assaltarão colocando-vos uma arma na cabeça”. Usará também outra expressão: “Se não os ajudardes a se educar colocar-vos-ão o punhal no pescoço”. Hoje isso é uma realidade!!!
Assim, dia quatro de novembro de 1831 faz estrada até Chieri.
___________________________________________________________________

A cada ano conseguiu cursar duas séries, recebendo sempre ótima avaliação. A fim de pagar os estudos, trabalhava à noite e nos dias feriados numa confeitaria-bar. Atendia os fregueses e atuava como padeiro e confeiteiro. Depois, já noite avançada, muitas vezes ao invés de dormir, estudava e se dedicava à literatura grega, latina e italiana, bem como a outras leituras formativas de caráter e de cultura geral.
No tempo de estudos em Castelnuovo aprendera alguns ofícios como alfaiate, sapateiro, encadernador, que lhe seriam úteis para mais tarde ensiná-los aos jovens pobres, no começo de sua primeira escola no bairro de Valdocco, em Turim.
Fundou uma um grêmio, a “Sociedade da Alegria”, reunido colegas que desejassem cultivar sinceras e boas amizades em passatempos sadios e proveitosos para a formação de personalidades respeitosas e responsáveis. Encontrava ainda tempo para dar aulas particulares, e, desta forma, ter algo mais para se sustentar. Note-se que estava com dezesseis anos! Enquanto isso ele pensava em seu projeto de vida.

Galeria de Imagens
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>