Sintonia Online

Bagé – Colégio Auxiliadora – 23/08/11 – Conhecendo mais Dom Bosco a caminho do bicentenário de seu nascimento

Bagé – Colégio Auxiliadora – 23/08/11 – Conhecendo mais Dom Bosco a caminho do bicentenário de seu nascimento

     Conselho bom, mesmo vindo do diabo, merece ser seguido. Aliás, Rattazzi sempre admirou o trabalho de Dom Bosco, deu-lhe apoio e também recursos monetários. Mas Dom Bosco, consultando o Papa, então Pio IX, propôs, em 1852, a quatro jovens de permanecerem com ele para ajudá-lo no trabalho de educação dos companheiros. Eles aceitaram. Em dezembro de 1858, convidou dezoito, entre eles os quatro anteriores, e lhes propôs um projeto de sociedade para fazer o bem à juventude pobre, para a glória de Deus. Pediu que refletissem e marcou data para darem a resposta.
     No dia marcado todos menos um se apresentaram e disseram sim a Dom Bosco e a Deus. Com exceção de padre Alasonatti, eram jovens de dezessete a vinte e dois anos. Desta forma foi dado começo à congregação dos padres e irmãos salesianos, a Sociedade de São Francisco de Sales. Padres e irmãos, com os mesmos direitos e deveres, vivendo em comunidades dedicadas a fazer o bem à juventude e ao povo em geral. Única diferença entre irmãos e padres é que estes optam por receberem o sacramento da ordem, para exercer o ministério sacerdotal como presidentes da Eucaristia e administradores dos demais sacramentos.
     Fundar uma congregação religiosa parece coisa fácil. Entretanto, não é bem assim. Dom Bosco teve muito trabalho até que a Sociedade de São Francisco de Sales fosse aprovada. Houve bispos que colocaram empecilhos. Mas Dom Bosco não se deixou vencer. Sabia que a obra era da vontade de Deus. Fez vinte viagens a Roma para tratar com as autoridades religiosas dos detalhes da instituição. Teve grande apoio do Papa Pio IX. Enorme foi sua alegria quando recebeu a notícia de que Roma havia dado a aprovação definitiva para a existência da Sociedade com suas normas, as constituições, que regem a vida dos salesianos de Dom Bosco.
     Até o momento vimos Dom Bosco se ocupar somente com a educação dos meninos. E as meninas? Muitos sugeriram a ele de fazer algo semelhante para as meninas, como já havia para os meninos. Convém lembrar que ainda no século XIX havia pouca idéia de oferecer educação e escola para as meninas.
Numa reunião (1871) ao Capítulo da Congregação, que o auxiliava no governo da Sociedade de São Francisco de Sales, Dom Bosco diz que, diante da insistência de tanta gente para também atender as meninas, receia "de ir contra os desígnios da Providência", isto é de Deus. Pede aos presentes que o ajudem na reflexão e na oração para que se chegue a tomar decisão que seja de bem para tantas vidas e em honra da glória de Deus.
     No passeio de outono de 1864, que frequentemente dom Bosco fazia com seus garotos, levando banda musical e equipe de teatro, encontrara-se com padre Pestarino, o qual lhe apresentara um grupo de moças dedicadas a cuidar, em meio a grandes dificuldades, de meninas muito pobres da região, numa casa bem simples. Maria Mazzarello é uma dessas moças. Dom Bosco se admira com o trabalho que elas realizam. Sobretudo com a bondade delas. Dirige-lhes algumas palavras de apoio e estímulo, incentivando-as a praticar, sem esmorecer, as virtudes e, sem dúvida, a continuar tão útil e belo serviço às meninas.

 
     Durante algum tempo, de comum acordo com padre Pestarino, Dom Bosco orienta e cultiva esse grupo de mulheres. Com elas acontece o início de uma bela e providencial instituição para a educação das meninas pobres. É o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora (FMA). Inicialmente Dom Bosco ficou como superior geral do instituto, representado por Pestarino e, depois, pelos Padres Rinaldi e Lasagna e outros. Com o progresso do tempo, as irmãs salesianas, assim também chamadas, têm seu governo próprio, independente do Reitor Mor dos salesianos de Dom Bosco (SDB), permanecendo ele ligação para com a Família Salesiana. Cultivam a mesma espiritualidade e praticam o mesmo sistema de educação deixado aos padres e irmãos salesianos.
Da Cidade de Turim a obra social, cultural e religiosa de Dom Bosco se expandiu a outras localidades do Piemonte. Tornou-se conhecida na Itália. Depois, os salesianos começaram a ter casas na França e Espanha. Chegavam muitos pedidos a Dom Bosco para que enviasse padres e irmãos a outros países. Eram autoridades governamentais e religiosas que solicitavam a presença educativa dos discípulos de Dom Bosco.
     A Argentina foi o primeiro país da América a receber os salesianos de Dom Bosco em 1875. O navio, em que viajava o grupo mandado por Dom Bosco a terras fora da Europa, atracou no Rio De Janeiro. Os salesianos desembarcaram e fizeram visita a Dom Lacerda, bispo do Rio. Ele também aguardava a chegada dos salesianos para sua diocese. Mas ainda tinha que esperar. Seguiram viagem para o país vizinho.
     Padre Luís Lasagna, encarregado das casas no Uruguai, fez viagens a estados brasileiros (Pará, Mato Grosso, Rio de Janeiro), de onde chegavam pedidos a Dom Bosco para que lhes mandasse salesianos. Conversava com autoridades para se assegurar das condições de acolhida para os coirmãos. A primeira presença salesiana em nossa pátria foi estabelecida em Niterói. Seguiram-se outras fundações nos Estados de São Paulo, Minas gerais e Mato Grosso. A cidade do Rio Grande, já sendo Reitor- mor Padre Miguel Rua, acolheu os saslesianos em 1904, fundando o Liceu Salesiano Leão XIII.
Bagé acolheu os salesianos em 1904. O Colégio Nossa Senhora Auxiliadora e Bagé constituem uma parceria forte, mais do que uma simples associação para promover cultura e cidadania. Muitas personalidades que se projetaram nos cenários municipal, estadual e nacional, beberam das fontes da salesianidade. Levaram o nome Dom Bosco em suas vidas e o honraram no exercício das profissões e funções que assumiram. As novas gerações não podem ficar atrás na dedicação ao bem-estar da coletividade, recordando da afirmação do mesmo Dom Bosco: "estamos no mundo para os outros". Isso fizeram, ele próprio, os salesianos. Isso, com certeza fazem e farão tantos ex-alunos, que passaram pelos umbrais das casas sob a proteção de Nossa Senhora Auxiliadora.
Uma pergunta da maior importância: Quem se anima a fazer como Dom Bosco e doar a vida pelo bem da juventude e do povo? Dom Bosco viverá no futuro com sua missão se houver quem generosamente o imitar! Os salesianos que nos trouxeram Dom Bosco foram heróis, e dos grandes. Alguns nunca mais puderam retornar às suas pátrias para rever parentes. Hoje cantamos Dom Bosco. Precisamos fazer algo mais. Se os primeiros, e foram muitos, fizeram, por que nós não conseguiremos igualmente com nossa disposição e a graça de Deus?

Galeria de Imagens
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>