Sintonia Online

Massaranduba – Paróquia Sagrado Coração de Jesus – 06/05/12 – DO SONHO À REALIDADE

Massaranduba – Paróquia Sagrado Coração de Jesus – 06/05/12 – DO SONHO À REALIDADE

A comunidade se organizou. Houve celebrações na Escola de Ensino Fundamental Nicolau Jensen do bairro. A primeira missa foi celebrada pelo Pe. Asidio aos treze de abril de mil novecentos e oitenta e seis Dona Riti Bento Raimondi ofereceu um terreno adjacente à sociedade Onze União e o Pe. Ivo Petry celebrou no salão dos irmãos luteranos a missa e benzeu a pedra fundamental. Mas o dinheiro era curto. Pe. Ivo montou um projeto e pediu auxílio na Alemanha. A Adveniat enviou uma verba em euros. Com esse dinheiro foi erguida a estrutura pré-moldada, já sob a jurisdição do Pe. Dionisio Hülse. E o sonho adormeceu por dez anos. Quando da proximidade do centenário da paróquia, o então pároco Pe. Enri Clemente Leigman, acordou a ideia e a solidariedade dos paroquianos. A Obra seria fruto sazonado em cem anos. Motivou as comunidades para um gesto similar ao dos Atos dos Apóstolos. E as pessoas puseram em comum seus bens e serviços. E aconteceu: em maio de dois mil e doze surgiu um templo para o louvor da Santíssima Trindade, última flor da paróquia, inculta e bela, fruto do sacrifício de muitos e da união das vinte e cinco comunidades centenárias que quiseram realizar comunhão. Agora não mais é sonho, mas realidade da comunhão. No dia de São Domingos Sávio, sol primaveril, o sonho se anuviou e brilhou a realidade. Enorme afluência de fiéis. Piso superior lotado. Pessoas de pé pelos corredores. O piso térreo, também lotado, acompanhava por um telão. Pe. Orestes Carlinhos Fistarol, inspetor, presidiu acompanhado pelo pároco Pe. Enri Clemente Leigman, pelo vigário paroquial Pe. Luiz Bazzanella e pelo mestre de cerimônias Pe. Edvaldo Nogueira da Silva, neossacerdote e vocação desta terra generosa. Ministros de todo o território paroquial, cantores mirins, maestrinas, SAV, fotógrafos e filmadores. Eram nove horas com trinta minutos: corte da fita, bênção da porta, descerramento da ênea placa “Memorial da Gratidão”. Bênção e aspersão. Liturgia da palavra. Unção e incensação do altar e da contígua capela do Santíssimo. Liturgia Eucarística IX (das crianças). Coroação de Nossa Senhora Auxiliadora no átrio de entrada cuja estátua foi doação do Pe. Luís Otávio Botasso e Pe. Justo Piccinini da Inspetoria de São Paulo. Cada uma das vinte e cinco comunidades depositou um ramilhete aos pés da Virgem. Palavras do Inspetor parabenizando o pároco pelo coroamento da obra, última comunidade carente de seu próprio templo. Depois o pároco, pediu “dois minutinhos” e também agradeceu à comunidade Massarandubense através de seu prefeito Mário Fernado Reinke e sua esposa Suzane que estavam na celebração. Incluídos no agradecimento a senhora Riti Bento Raimondi (doadora do terreno) e o senhor Nelson Zanotti (maior investidor). Agradeceu ao publico o fato de entender que não era possível referendar a enorme nominata de benfeitores.

Galeria de Imagens
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>