Sintonia Online

Ponta Grossa – Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora – 24/05/2013 – Paróquia de Ponta Grossa celebra dia de sua padroeira N. S. Auxiliadora.

Ponta Grossa – Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora – 24/05/2013 – Paróquia de Ponta Grossa celebra dia de sua padroeira N. S. Auxiliadora.

“Disse, então, sua mãe aos serventes: Fazei o que ele vos disser.” (Jo 2,5)

Comemorando o dia de Nossa Senhora Auxiliadora, padroeira da comunidade salesiana da diocese de Ponta Grossa, foi celebrado o oitavo dia da Novena em preparação para a festa da Mãe Auxiliadora dos Cristãos. A comunidade paroquial se fez presente, Pe. Leo kieling e, pela primeira vez na festa da padroeira, a presença dos Diáconos Permanentes Augusto Rotta e Jose Joanir de Oliveira.

 

Em sua homilia, Pe. Leo afirmou “Nossa Senhora tinha certeza que o Filho  podia  dar um jeito”, referindo-se do poder de intercessão de Maria em relação ao filho e de Jesus em relação ao Pai. O tradicional evangelho das bodas de Caná da Galileia, proclamado neste dia, nos levou a esta reflexão. Referindo-se às águas como os malefícios em nossa vida que devem ser transformados no vinho do bem viver, “E hoje Maria falaria a nós: Fazei o que ele vos disser. Já Jesus nos diz: quais águas querem que eu transforme em vinho?” enfatizou o padre. A pedido da pastoral litúrgica, neste dia foram abençoadas as famílias dos paroquianos. E celebrando o dia de Maria Auxiliadora, abaixo colocamos um resumo da devoção à Maria, Auxilio dos Cristãos, apresentado pelo nosso pároco Pe Leo kieling…

 

A Auxiliadora -  História

Os antigos romanos chamavam “Auxilia” as tropas aliadas que combatiam com suas legiões. Assim o nome “Auxilia”, evoca lutas em campos de batalha, onde a vida se pode tornar heroismo em defesa de um ideal. A Igreja aqui na terra é também uma milícia; e os cristãos lutam pela defesa e pela propagação da fé. Nossa Senhora é o seu auxílio no combate e é terrivel com um exército em ordem de batalha. No século XVI, foi ameaçador o domínio do Mediterrâneo pela força naval dos Turcos.

O Papa São Pio V conseguiu unir a Espanha com Veneza, sob o comando de João da Áustria e, em 1571 no Estreito de Lepanto, destruiu-se totalmente a força naval da Turquia. Durante a batalha o Papa rezava, com toda a sua corte, o rosário de Nossa Senhora. Depois da vitória, o Papa São Pio V mandou incluir a Ladainha Lauretana a invocação de Maria “Auxílio dos Cristãos”. Napoleão Bonaparte deportou o Papa Pio VII de Roma, que ficou prisioneiro na França entre 1809-1814. Tendo experimentado o poderoso auxílio da Mãe de Deus, quando recuperou a liberdade, Pio VII decretou a celebração da festa com o título Auxílio dos Cristãos, no dia 24 de maio do Ano Litúrgico.

O Papa Pio IX exaltou a figura de Maria quando promulgou o dogma da Imaculada Conceição (Ineffabilis Dei, 1854) com estas palavras: “Maria é fidelíssima auxiliadora e poderosíssima mediadora e reconciliadora de toda terra junto a seu Filho Unigênito”.

A invocação “Auxílio dos Cristãos” é a forma pública e social da mediação que a Santíssima Virgem exerce não só a favor de pessoas, instituições e países, mas também para o bem de toda a Igreja Católica e do Santo Padre o Papa. Principalmente nos momentos mais trágicos da humanidade e nos períodos mais difíceis da Santa Igreja.

Colaborador(a): Jackson Rodrigo Eidam

Correção: Maria Cristina Piotrovski

Mais fotos, vídeos e informações paroquiais acessem: http://pgpnsa.blogspot.com

Galeria de Imagens
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>